Morar sozinho ou dividir apartamento? Qual a melhor opção?

Morar sozinho ou dividir apartamento? Qual a melhor opção?

As duas possibilidades apresentam boas vantagens, assim como desvantagens; conheça melhor antes de tomar qualquer decisão

Sair da casa dos pais e conquistar a independência é o sonho de muitas pessoas. Essa é uma excelente oportunidade para adquirir novas experiências e conhecer as grandes responsabilidades que a vida apresenta, como organizar a própria rotina e arcar com todas as despesas.

No entanto, no momento de sair de casa, seja para estudar ou trabalhar, por exemplo, sempre surge uma questão importante que precisa de cautela e muita reflexão antes de qualquer decisão precipitada, que é: morar sozinho ou dividir apartamento? Qual a melhor opção? 

As duas opções apresentam boas vantagens, assim como desvantagens, que abordaremos aqui para você colocar na balança e tomar a decisão certa seguindo os seus objetivos do momento e a sua condição financeira, é claro. Continue a leitura e confira!

Morar sozinho: vantagens e desvantagens

Se você é uma pessoa que não se importa de ficar sozinha e não gosta de cobranças ou a interferência de outros em suas decisões e atividades diárias, talvez a possibilidade de morar sozinho(a) seja uma boa opção para você neste momento.

Entre as principais vantagens de alugar ou comprar um apartamento para morar sozinho(a) estão:

Liberdade para decidir tudo: todas as coisas serão do seu jeito, desde decoração até a alimentação. Aqui você tem liberdade para tomar as suas decisões da forma que desejar, sem os questionamentos de outras pessoas.

Privacidade e Comodidade: essa opção de moradia te permite mais privacidade, ou seja, você não terá que dividir os ambientes da casa com outras pessoas. Além disso, por ter mais privacidade e um espaço seu, a comodidade é maior, pois você se sente mais à vontade, o que torna ambiente mais confortável e agradável.

Novos aprendizados: ao morar sozinho(a), você adquire novos aprendizados, passa a se conhecer melhor, a ser mais organizado e a controlar as finanças.

Em contrapartida, essa opção apresenta uma grande desvantagem que complica a decisão, os custos são bem mais elevados. Morar sozinho(a) é mais caro, pois você não dividirá o aluguel com mais ninguém. Além disso, existem outras contas básicas que fazem parte da realidade e ficará apenas por sua responsabilidade, como: água, luz, internet e alimentação. Ou seja, todas as despesas são exclusivamente suas! 

Dividir apartamento: vantagens e desvantagens

Diferente da opção acima, se já faz parte da sua rotina morar com mais pessoas, se tem uma família grande, por exemplo, e gosta de movimentação na casa, sem se importar com isso, é provável que a opção de dividir o apartamento se encaixe melhor para você. 

As principais vantagens da moradia compartilhada são:

Custo mais baixo: essa, talvez, seja a principal vantagem de dividir um apartamento, e a que faz muitas pessoas decidirem por essa opção. Afinal, aqui você terá todos os gastos divididos, seja aluguel, luz, internet, água e etc. Você não terá que arcar com todas as despesas.

Tarefas divididas: além dos gastos serem divididos, as tarefas também são, pois você fará parte de um ambiente compartilhado que precisa ser limpo e organizado por todos que usufruem do mesmo espaço. Isso te permite mais tempo para descanso e fazer o que gosta.

É ótimo para socializar: ao morar com outras pessoas, você começa a conhecer outras personalidades e lidar com diferentes opiniões e jeitos, o que ajuda no convívio social.

Entretanto, assim como morar sozinho(a) apresenta desvantagens, dividir o apartamento também. A primeira delas é que, apesar de ser uma boa oportunidade de melhorar o convívio social, você precisa se adaptar a hábitos diferentes, o que pode ser um pouco difícil.

É preciso também pensar que as decisões sempre serão coletivas, afinal, as prioridades são diferentes, o que aumenta a possibilidade de desentendimentos.  Além disso, outra grande desvantagem e, talvez, um fator decisivo na hora da decisão, é que você terá menos privacidade e, consequentemente, menos comodidade no ambiente compartilhado.

Então, qual é a melhor opção? 

Foi possível perceber que não existe uma opção melhor que a outra. As duas possibilidades apresentam pontos positivos e ao mesmo tempo negativos. Tendo conhecimento de todos esses pontos, você terá que entender qual é o seu objetivo no momento, a sua vontade pessoal, se possui um espírito mais democrático, o quanto gosta de ficar sozinho(a), se prefere mais privacidade ou não se importa em dividir o ambiente e, claro, a sua condição financeira, fator principal na hora da decisão. A partir disso você tomará a decisão certa para você!

Atitudes importantes

Cada uma das opções de moradia apresentadas neste texto apresentam atitudes importantes que precisam ser colocadas em prática para uma vida saudável, de qualidade e, também um bom convívio, permitindo que qualquer decisão tomada por você seja positiva.

Se você optar pela opção de morar sozinho(a), lembre-se de:

1- Começar com o essencial;

2- Organizar a vida financeira;

3- Criar uma rotina, de limpeza e alimentação;

4- Conhecer o bairro;

5- Deixar o ambiente com a sua cara;

6- Aproveitar bastante cada momento.

Agora, se a sua realidade tende para a moradia compartilhada, não se esqueça de:

1- Estipular regras juntamente com as pessoas que irão morar com você;

2- Dividir a limpeza e a organização da casa;

3- Planejar bem as despesas;

4- Perguntar sempre;

5- Entrar em consenso em relação às visitas;

6- Pedir autorização para usar algo que não é seu.

E aí, já conseguiu identificar qual é a melhor opção para você nesse momento de decisão? Esse conteúdo te ajudou? Conte nos comentários!

Leia também: 5 lugares de Londrina que você precisa conhecer